Menu fechado

Passageira relata assédio de motorista da Uber ao pedir viagem: ‘vamos dar um rolê na Lagoa?’

Empresa afirma que motorista foi banido da plataforma após o caso de assédio; caso aconteceu no Centro de Florianópolis

O fotógrafo Eduardo Valente e a esposa tentavam chamar um motorista de aplicativo para levá-los para casa na madrugada do último sábado (22) no Centro de Florianópolis, quando passaram por uma situação constrangedora.

Após longa espera na avenida Hercílio Luz, no Centro da Capital, um motorista da Uber aceitou a corrida. O chamado foi feito pelo aplicativo da esposa de Eduardo. O motorista então mandou uma mensagem para ela antes de chegar ao local.

Print da conversa do casal com o motorista – Foto: Reprodução/ND

“Boa noite, indo para casa já?”, questionou o condutor. A esposa de Eduardo, que preferiu não ter o nome divulgado para se preservar, disse que sim. Foi quando então, para a surpresa do casal, o motorista a convidou para “dar um ‘rolê’ na Lagoa [da Conceição]”.

A reação do fotógrafo foi registrar a mensagem com o assédio e xingar o motorista. “Na hora perdi a cabeça, acabei xingando o cara. Então ele [motorista] cancelou a corrida na mesma hora”, relata ao ND+.

A solução do casal para voltar para casa, no bairro Coqueiros, foi caminhar até a praça 15 de Novembro, também no Centro de Florianópolis, e pegar um táxi.

Eduardo afirma que entrou em contato com a Uber e disse ao ND+ que a empresa afirmou que tomaria as devidas providências. O fotógrafo ainda afirmou que a esposa irá registrar um boletim de ocorrência sobre o caso ainda nesta terça-feira.

Contraponto

A reportagem do ND+ entrou em contato com a Uber. Por meio de nota, a empresa afirmou que o motorista foi banido da plataforma e que se coloca à disposição das autoridades para o curso das investigações.

Veja também:  [Vídeo] Tarifa de mendigo dos aplicativos Uber promo, 99 poupa e indriver

A empresa ainda reforça que a segurança do passageiro é uma “prioridade”. Além disso, alega também que todos os motoristas da plataforma passam por uma checagem de dados antes de começarem a trabalhar.

“Todos os motoristas passam por uma checagem de apontamentos criminais realizada por empresa especializada que, a partir dos documentos fornecidos pelo próprio motorista e com consentimento deste, consulta informações de diversos bancos de dados oficiais e públicos de todo o País em busca de apontamentos criminais, na forma da lei”, afirma a empresa.

Leia a nota na íntegra:

A Uber repudia qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e acredita na importância de combater e denunciar casos de assédio e violência. O motorista parceiro foi banido da plataforma e a empresa se coloca à disposição para colaborar com as autoridades no curso das investigações. 

Segurança é uma prioridade para a Uber e inúmeras ferramentas atuam antes, durante e depois das viagens  para torná-las mais tranquilas, como, por exemplo, o compartilhamento de localização, gravação de áudio, detecção de linguagem imprópria no chat, botão de ligar para a polícia, entre outros.

A Uber defende que as mulheres têm o direito de ir e vir da maneira que quiserem e têm o direito de fazer isso em um ambiente seguro e desde 2018 tem um compromisso de participar ativamente do enfrentamento da violência contra a mulher,materializado em projetos elaborados em parceria com entidades que são referência no assunto, que inclui campanhas contra o assédiopodcast educativo para os parceiros e um canal de suporte psicológico para apoiar vítimas de violência de gênero na plataforma, desenvolvido em parceria com o MeToo, e que será disponibilizado para a usuária. 

Vale ressaltar ainda que todas as viagens com a plataforma são registradas por GPS. Isso permite que em caso de incidentes nossa equipe especializada possa dar o suporte necessário, sabendo quem foi o motorista parceiro e o usuário, seus históricos e qual o trajeto realizado. E para reforçar a privacidade dos usuários, a Uber não mostra para os motoristas parceiros os pontos exatos de embarque e desembarque no histórico de viagens e os telefones de ambos são sempre mantidos em sigilo. 

Além disso, como parte do processo de cadastramento para utilizar o aplicativo da Uber, todos os motoristas passam por uma checagem de apontamentos criminais realizada por empresa especializada que, a partir dos documentos fornecidos pelo próprio motorista e com consentimento deste, consulta informações de diversos bancos de dados oficiais e públicos de todo o País em busca de apontamentos criminais, na forma da lei. A Uber também realiza rechecagens periódicas dos motoristas já aprovados pelo menos uma vez a cada 12 meses.

E para ajudar a verificar se a pessoa que está usando o aplicativo corresponde àquela da conta que temos no arquivo, de tempos em tempos, o aplicativo pede, aleatoriamente, para que os motoristas parceiros tirem uma selfie antes de aceitar uma viagem ou de ficar on-line.

Reportagem Original


Caso ainda não conheça nossa comunidade, o Mundo Uber tem um fórum onde os membros podem interagir e postar dicas e dúvidas para os demais motoristas de aplicativo. Para acessar o fórum, é bem simples, basta clicar nesse link:
https://mundouber.com/forum/

0 0 votes
Article Rating

Deixe uma resposta

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x