Menu fechado

Listagem de ações do Inter nos EUA mira ‘modelo Uber’ e cliente estrangeiro

A reorganização societária do Inter que culminará na migração das ações da companhia para a Nasdaq, nos Estados Unidos, é parte de um plano da instituição de se consolidar como uma empresa para além de banco.

Segundo o CEO do Inter, João Vitor Menin, em um passado recente fazia sentido trabalhar com base no conceito de ampliar o número de correntistas, mas que, com os aplicativos oferecendo diversos serviços, “não tem problema” o usuário ser apenas um cliente.

Depois que você faz o serviço para o não correntista, oferecer algo para o não brasileiro é um passo“, disse o executivo nesta quarta-feira (26), em evento promovido pelo BTG Pactual.

O Inter diz que transformou seu modelo de um banco digital para um ecossistema com cinco “avenidas” de negócios: banco transacional, investimentos, seguros, shopping e crédito.

Menin falou em uma “uberização” do Inter, lembrando que o aplicativo norte-americano começou apenas como um serviço de carona – hoje oferece diversas categorias de viagens em parte do mundo, além de entrega de comida. “A gente acha que isso aumenta bastante o nosso mercado endereçável”, disse.

A empresa tem cerca de 11 milhões de clientes, carteira de crédito ampliada de R$ 11 bilhões, patrimônio líquido de R$ 3,3 bilhões e R$ 21,2 bilhões de ativos totais. Com o anúncio da migração para a Nasdaq, as Units do Inter subiram 24% em um dia.

Para Menin, quando uma companhia entrega muito, em resultado, o mercado de capitais impulsiona um crescimento “rápido e com consistência”. “A gente tem que aproveitar essa ferramenta que são nossas ações”, disse.

O Inter fará uma nova oferta de ações na B3 para reforçar o balanço, com a empresa de maquininhas de cartão e meios de pagamento Stone investindo R$ 2,5 bilhões na operação.

Veja também:  Investidor anjo do Uber e Twitter elogia bitcoin e diz que criptomoedas são uma das maiores invenções da história - Livecoins

Inter e Stone também planejam aumentar a conexão entre suas bases, explorando as intersecções entre os clientes do banco e os varejistas adeptos à plataforma da empresa de maquininhas. “A gente tem um fit cultural [alinhamento entre valores] muito legal”, disse Menin.

Nos EUA, o banco passará a se chamar Inter Platform, com a família Menin mantendo o controle da empresa. A companhia terá duas classes de ações: a primeira, que será negociada na Nasdaq, dará direito a um voto cada.

A segunda, com o chamado “voto plural”, ficará nas mãos do acionista controlador do Inter e seus filhos.

O Inter prevê a incorporação e o resgate das ações negociadas hoje na B3 e a listagem na Nasdaq. Em troca, os atuais acionistas na bolsa brasileira poderão receber as novas ações da Inter Platform ou recibos de ações (BDRs) lastreados nesses papéis.

Reportagem Original


Caso ainda não conheça nossa comunidade, o Mundo Uber tem um fórum onde os membros podem interagir e postar dicas e dúvidas para os demais motoristas de aplicativo. Para acessar o fórum, é bem simples, basta clicar nesse link:
https://mundouber.com/forum/

0 0 votes
Article Rating

Deixe uma resposta

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x